Todos tem algo a oferecer....


Existem situações na vida que conseguem nos constranger ao ponto de nos deixar sem palavras.... então... vim contar a vocês uma coisa que aconteceu comigo na semana que passou.

Já falei bastante sobre minha vida aqui no blog. Sobre bons e maus momentos, sobre derrotas e vitórias.... muitas de vocês já conhecem um pouco sobre mim e sabem que não faltaram dificuldades pra chegar onde cheguei, (lugar que para muitos pode não valer nada, mais pra mim é motivo de orgulho).

Semana passada fui em Peruíbe (cidade próxima), dar um passeio, comer um lanche e olhar um móvel que queria comprar para a casa. Toda felizinha... ia andando de mãos dadas com meu amor pela calçada, passando na frente de um moooonte de lanchonetes e um homem, com trajes de mendigo, barba por fazer e cabelo bagunçado nos parou e pediu algo para comer (não pediu dinheiro, pediu lanche). Automaticamente, respondi: “desculpa, não tenho nada no bolso.” Era mentira. Eu tinha, e graças a Deus, tinha bastante. Fui atravessar a rua e não consegui.... parei por um momento, fui em uma lanchonete e comprei dois lanches, pedi que embrulhasse pra viagem e voltei... levei os lanches praquele senhor que respondeu: “Deus te abençoe”, começou a comer e eu segui meu caminho.

Logo mais a frente sentei com meu esposo em uma lanchonete... pedimos um lanche completo, com fritas, refrigerante.... estávamos conversando e um rapaz veio na mesa e falou: “Moça, eu to com fome... compra uma coxinha pra mim?”. Meu marido me olhou como quem dizia: “Agora eles vão falar pra todos os outros que a gente deu lanche....”, e eu olhei pra ele com cara de quem diz: “Tudo bem!”. Falei pro marido: “Pega lá uma coxinha pra ele”. Ele levantou alegre e deu a coxinha pro moço, que disse “Deus te abençoe” e partiu.

Nosso lanche nem tinha chegado à mesa quando veio um outro rapaz, trazendo uma flor feita com folhas de uma planta... aquele rapaz falou: “Com licença moça, desculpa interromper seu lanche.... eu vendo essas flores pra conseguir o que comer, sei que não tem valor material, mas é um trabalho feito com carinho, então se a senhora puder comprar, pode pagar com o que quiser... dinheiro, moeda, comida....”. Eu queria dizer sim, mas tinha entendido o olhar do meu esposo quando ele quis transmitir “Eles vão falar pra todos virem aqui” e disse que não tinha mais dinheiro.... na verdade... eu tinha... podia comprar um lanche pra ele e se viessem mais um, mais dois, mais três ou mais quatro, tenho certeza que não ficaria mais pobre por ter ajudado... independe se usam drogas, se bebem... o que tenho eu com isso? São pessoas com fome e ponto final. Só quem sentiu isso sabe o que é.

O menino agradeceu e partiu. Senti um vazio por não ter ajudado, mas tentava me conformar com o pensamento de que não posso abraçar o mundo e já tinha feito o que podia naquele dia. Meu lanche chegou e de repente, minha fome já tinha passado. Não me sentia bem ao ver tanta comida na mesa e pensar que tinham me pedido um lanche e eu não dei. Mesmo assim, comi.

Assim que acabei o lanche o menino reapareceu, com a mesma flor na mão. Chegou à mesa, estendeu-a pra mim e disse: “Pra você moça”. Meu esposo me olhava, eu olhava pro menino... meu coração tava partido e eu não consegui fazer nada além de pegar a flor da mão dele e responder “Deus te abençoe”.




Aquele menino mostrou pra mim, que mesmo na sua pobreza (material), ele tinha algo a oferecer. Eu poderia ter oferecido muito mais, mas na minha pobreza (sem definição para ela), não estendi nada pra ele além de uma frase com a mais profunda sinceridade do meu coração.
Sei que da próxima vez será diferente, pois alguma coisa em mim mudou com aquela flor. 

7 comentários:

  1. essa flor na minha vida ja apareceu 3x,contando c sua istoria ,a 1x foi num onibus ,a moça tava feliz q tinha gamho de seu namorado ,depois axei uma indo trabalhar e agora abro seu blog e vc conta essa istoria q termina c essa flor ,,,,será o que ??????

    ResponderExcluir
  2. q história linda Bruna!fiquei emocionada

    ResponderExcluir
  3. Incrível !!! É complicado né ? A gente quer ajudar todo mundo, mas as vezes não sabemos se estamos fazendo um bem ou piorando as coisas...Uma vez, saindo de uma padaria, uma pessoa me pediu um pão, dei e depois vi que a pessoa jogou fora com o maior desdém, já teve uma outra ocasião que dei metade de um lanche e a pessoa me abençou tanto, percebi que o que ela sentia era realmente muuuita fome... Ultimamente tenho ficado muito em duvida quanto ao que fazer ! Sigo meu coração, mas já me senti assim como vc .. Dá um aperto no peito!

    ResponderExcluir
  4. Bruna , leio teu blog há um bom tempo, mesmo sem poder comentar sempre, nunca deixo de estar presente. Hoje tive de comentar, a florzinha que o garoto te deu é uma simples resposta de Deus, te dizendo obrigada. Pode parecer que vc não tenha ajudado aquele menino, mas ajudou outros dois e não foi só com os lanches, cada vez que você estendeu a mão , não só matou a fome, mas plantou a esperança de dias melhores, de que ainda existem pessoas boas neste mundo.
    Nossas adversidades e vitórias podem parecer pequenas para os outros , mas só nós sabemos onde o nosso calo aperta. Se você conquistou o teu lugar é merecido por essas e por muitas outras atitudes tenho certeza.E estou certa que muitas outras coisas boas virão.
    Desculpa acho que escrevi muito, é que tua história me emocionou e sai escrevendo feito louca
    beijão

    ResponderExcluir
  5. Eu sinceramente sou contra a dar dinheiro a quem quer que seja,mais se estiver vendendo seja o que for eu sempre compro pra ajudar e comida também eu sempre dou e digo ao meu marido e ao meu filho quem dá de comer a um pobre alimenta a própria alma!!

    ResponderExcluir
  6. Nossa, que linda :-)
    Fiquei sem palavras! Que Deus te abençõe!!!

    ResponderExcluir

Comenta aí vai... é quando você comenta que eu melhoro o blog e faço ele ficar do jeitinho que você quer ver.