O jeito é “dar uma fugidinha com você”...

A pouco tempo Michel Teló admitiu que a música tem duplo sentido SIM. Ao mesmo tempo, alguns vereadores lançaram um projeto de lei em uma cidade da Bahia, que proíbe que em eventos patrocinados pela prefeitura, sejam veiculadas músicas de sentido pejorativo, que incitem a violência ou tenham o já tão comum “duplo sentido”.

O que dizer sobre isso? Algumas pessoas reclamaram do projeto, dizendo que isso é impedir a livre manifestação do pensamento e até mesmo, colocar barreiras para a “cultura”. Eu discordo. Ninguém está sendo proibido de cantar, dançar ou ouvir esse tipo de música, então não há impedimento algum, a questão é que a Prefeitura da cidade entendeu que o dinheiro público não deve ser investido nesse tipo de mensagens, e aí sim: CONCORDO.

É difícil entender o que leva mulheres a dançarem e cantarem músicas que tratam-nas de forma tão desrespeitosa e é claro, se não fizesse tanto sucesso, esse tipo de “canção” já estaria extinto, mas como os próprios cantores dizem: “as mulheres gostam, elas cantam e dançam nossas músicas, não fazemos com desrespeito, fazemos por brincadeira”. Depois que o cantor deu esse pronunciamento (assisti na TV), as mulheres gritavam feito loucas apoiando os “músicos”.

A desculpa nesse caso é: “dançamos pelo ritmo e não pela letra”. Ok, então porque não incentivar seus cantores favoritos a manterem o ritmo das canções e compor letras que as crianças possam dançar também? Músicas que não tenham um apelo sexual e de desvalorização feminina tão grandes?

Estamos em 2011 e a palavra evolução sempre está em pauta, mas será que realmente estamos evoluindo??? Será que são esses os valores que queremos transmitir a nossos filhos? De que adianta uma mulher repetir diariamente que é séria, honesta e decente, se quando toca o pancadão ou aquele belo axé, ela rebola ao som de: “dá a patinha minha cachorrinha” ou “um tapinha não dói” ou até mesmo “tá todo mundo nu!”. Bom, desculpem, se ouvir gospel é ser tonto, ouvir MPB é coisa de velho, ouvir música de raiz é ser “jeca” e ouvir pagode é ser “pobre” (não segundo minha opinião, mas são estereótipos conhecidos), só posso pensar que ouvir, cantar ou dançar essas músicas tão cheias de malícia é no mínimo coisa de mulher burra ou (amenizando as palavras) de muito mal gosto musical.

Se você é fã de algum grupo que canta esse tipo de música ou gosta muito do ritmo das canções, mas também não concorda com a mensagem que elas transmites, não se faça de impotente e ao invés de ficar escrevendo mensagens fanáticas em cartazes, sites, vídeos de youtube e etc, envie mensagens de incentivo à mudança. Quando os homens entenderem que não estamos para brincadeira, com certeza isso vai mudar, mas depende de nós. Ou você prefere continuar “dando a patinha?”.

5 comentários:

  1. Nossa, não preciso nem comentar. vc já disse tudo flôr! Concordo plenamente com vc ^^

    Bjinhos ;*

    Pâm
    http://chiqueatodaprova.blogspot.com

    ResponderExcluir
  2. Oi Bru, faço das suas minhas palavras...concordo plenamente e de tanto ouvirmos "é só uma brincadeira", "não tem nada haver", "não fazemos mal a ninguém" que o mundo está do jeito que está...crianças e jovens com mentes deturpadas, pulando estapas em suas vidas que num futuro bem próximo lhes trará um grande prejuízo.

    Esse é um post para ler e refletir.

    Beijinhos lindona :)******

    ResponderExcluir
  3. Ops, acho que não me despedi, rs.

    Beijinhos :)******
    www.saladamista2.blogspot.com

    ResponderExcluir
  4. 'o dinheiro público não deve ser investido nesse tipo de mensagens, e aí sim: CONCORDO.'

    PERFEITO!!!

    ResponderExcluir
  5. Existem tantas músicas de duplo sentido a própria Ivete Sangalo cantava aquela do tapinha e assim que alertada do mal que a musica causava parou de cantar a tal musica,o negócio é se mobilizar e alertar/boicotar ao cantor ,agora vamos ser bem sinceros quanto aos vereadores eles tem mais o que fazer,pois se aprovassem leis que garantissem uma boa educação gratuita,saúde e lazer saudavel o povo saberia interpretar essas canções e teriam o poder de escolher se querem ou não dar ibope a esse ou aquele cantor,não adianta nada proibir, o negocio é ensinar o povo a pensar ,mais isso eles não fazem pois ai eles não seriam reeleitos!!!

    ResponderExcluir

Comenta aí vai... é quando você comenta que eu melhoro o blog e faço ele ficar do jeitinho que você quer ver.